domingo, 3 de octubre de 2010

Alemanha quita dívidas da 1ª Guerra Mundial após pagar últimas dívidas


Parece incrivel, mas passados 92 anos do fim da primeira guerra mundial, a Alemanha terminou esta semana de pagar as últimas "parcelas" restantes das indenizaçoes estabelecidas pelo Tratado de Versalhes, assinado em Paris, no mês junho de 1919. Em linhas gerais, o Estado alemão perdeu parte de seus territórios, zonas de exploração mineral e seus domínios coloniais. Além disso, as outras nações da Tríplice Aliança foram alvos de punição.


A Alemanha foi obrigada a devolver a região da Alsácia-Lorena para as mãos dos franceses. Os russos tiveram que reconhecer a independência da Polônia, que ainda foi agraciada com o corredor polonês (limite territorial que dava ao país uma saída para o mar). As colônias alemãs no continente africano foram divididas entre Inglaterra, Bélgica e França. Os outros domínios na região do Pacífico foram partilhados pelo Japão e Inglaterra.

Trata-se de um pagamento de 69,9 milhões de euros que se encontram refletidos no ponto 2.1.1.6 do orçamento do Estado para 2010, cumprindo assim o Tratado de Londres de 1953 e que não podia ser abonado antes que o país recuperasse sua unidade e soberania.

O pagamento dos consertos de guerra que as potências aliadas vencedoras estabeleceram no Tratado de Versalhes de 1919 após o grande conflito bélico ficou em suspenso pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial por ordem do regime nacional-socialista de Adolf Hitler.

Após 1945 a República Federal da Alemanha assumiu a continuidade do pagamento de uma grande parte da dívida acumulada pelos consertos de guerra, que abonou em sua totalidade até o ano 1983.

No entanto, o Tratado de Londres estabelecia que o abono de um total de 125 milhões de euros para o pagamento dos juros de empréstimos estrangeiros ficariam em suspenso até a reunificação da Alemanha, que aconteceu em 3 de outubro de 1990.

O abono das últimas dívidas pelos consertos de guerra foi retomado em 1996 e seu último prazo de pagamento encerrou oficialmente este domingo, data na qual pode dar-se por concluída, pelo menos financeiramente, a Primeira Guerra Mundial para a Alemanha.

O Tratado de Versalhes de 1919 exigiu da Alemanha o pagamento de 20 bilhões de marcos de ouro até abril de 1921 como primeiras reparações de guerra, número que aumentou para 296 bilhões de marcos de ouro a pagar em 42 anos após a Conferência de Boulogne de junho de 1920.

No entanto, em anos posteriores e após diferentes conferências para exigência do pagamento de reparos de guerra à Alemanha por parte dos aliados, variou várias vezes mais e se viu afetado pela fortíssima inflação que o país sofreu em meados dos anos 20.

Após a suspensão do pagamento dos reparos pelos nazistas e o fim da Segunda Guerra Mundial, o Tratado de Londres de 1953 reduziu pela metade a dívida alemã e até 1983 a República Federal da Alemanha abonou 14 bilhões de marcos para compensar os danos causados no conflito bélico.

No entanto, o pagamento dos juros no total de 251 milhões de marcos para os anos 1945 a 1952 foi adiado na capital britânica até que a Alemanha voltasse a ser um país unificado.

13 comentarios:

  1. Não poderia deixar de fazer uma reflexão comparativa entre a realidade da dívida alemã durante o pós-guerra com a realidade brasileira em um momento histórico em particular. Ao contrário do que a tradição histórica sempre alinhavou, o Brasil talvez tenha sido a única Nação no mundo que, após sair vencedora de uma guerra, tenha pago uma vultosa “indenização”.

    Refiro-me ao Pós-Guerra pela Independência quando, no ano subseqüente, o Tratado de 29 de agosto de 1825, intermediado pelos ingleses, oficializou o reconhecimento de nossa independência pela Coroa Portuguesa mediante o pagamento pelo Brasil de assombrosos 2 milhões de libras esterlinas, abrindo o caminho para que as demais monarquias européias também se sucedessem no reconhecimento.

    No entanto, a infalível tradição histórica predatória volta a funcionar contra o Brasil quando, na condição de nação recém-formada, fica sem condições de pagar a pesada indenização estabelecida pelo tratado de 1825, inclusa em cláusula secreta. Nesse momento, os ingleses emprestaram os recursos que asseguraram o pagamento deste valor. Na verdade, o dinheiro nem chegou a sair da própria Inglaterra, já que os portugueses tinham que pagar uma dívida equivalente aos mesmos credores. Dava-se, assim, o início de nossa massacrante dívida externa, uma conta de origem lusitana onde o vencedor reparou o vencido.

    O tempo foi passando, o mundo girando, se transformando, e a dívida externa aumentando e se auto-alimentando através da aplicação imoral de taxas de juros exorbitantes. Antes e depois do presidente Prudente de Morais, todos os demais presidentes se submeteram ao serviço da dívida, que continuou a crescer. Como foi dito, apenas o presidente Prudente de Moraes, em 1896, se negou a reconhecer tal dívida. Não reconhecia a dívida, portanto não havia o que renegociar. Para se ter uma dimensão do quanto a conta pesou no nosso bolso, comprometendo o bem estar de gerações futuras, em 40 anos, analisando um passado recente compreendido entre 1960 a 2000, a dívida passou de 1 bilhão de dólares, para 240 bilhões, mesmo depois do pagamento de mais de 600 bilhões de juros. Assalto em cima de assalto.

    É certo que a dívida foi paga e não estamos mais ao seu serviço. Mas não esqueçamos que nos livramos da ditadura da dívida graças a um pesado sacrifício social imposto ao povo brasileiro por mais de um século. Hoje, a Nação começa a conquistar um lugar ao sol frente a um mundo extremamente competitivo, perverso e assimétrico. De olho no passado e com os pés no futuro, devemos daí apreender muitas lições para que não nos esqueçamos dos sacrifícios de nossos antepassados!

    ResponderEliminar
  2. a Alemanha tem dividas da 2ª guerra aqui no Brasil em titulos que ainda nao pagou minha avo morreu com a esperanca de receber todo o emprestimo que meu bisavo fez a Alemanha e agora vejo minha mae ainda ter esperancas de receber...... varios advogados nao resolveram nada ate na embaixada minha mae foi e nada foi resolvido

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Não sabia que ainda haviam essas pendencias causadas pela guerra.Como e quando seu avô emprestou dinheiro à Alemanha? ele morava lá ou aqui?

      Eliminar
    2. minha familia tb possui estas dividas causada pela segunda guerra e nem temos ideia se vao pagar, meu bisavo vendeu cafezais aki no brasil e enviou dinheiro através de um banco esqueci o nome e possuimos esses titulos que comprovam o envio.

      Eliminar
    3. Também temos um titulo e ainda temos esperança em receber. Voce continuou o processo? estamos agora tentando entrar de novo com o processo.

      Eliminar
  3. E apesar de toda essa covardia sionista contra a Alemanha, hoje ela é a maior economia do mundo...

    ResponderEliminar
  4. Que tipo de títulos da dívida pública Alemã a sua família tem? Vocês tem interesse em negociá-los, após análise prévia.

    Paulo Roberto

    ResponderEliminar
  5. Que tipo de títulos da dívida pública Alemã a sua família tem? Vocês tem interesse em negociá-los, após análise prévia.

    Paulo Roberto

    ResponderEliminar
  6. so se retira esse titulo com documento ?
    ou a familia buscando comprovaçao de que é descendente se consegue ?

    ResponderEliminar
  7. Alguem continuou o processo? conhecem alguem que conseguiu ganhar?

    ResponderEliminar
  8. Minha família também empretou dinheiro para Alemanha
    Meu tataravô desembolsou uma.verdadeira fortuna e nunca.conseguimos resgatar... ainda temos os documentos já entramos com processo de cobrança contra amanhã é não nos pagam. O dinheiro foi emprestado no fim da guerra em 1945

    ResponderEliminar