jueves, 31 de diciembre de 2009

Dog tag


Um dog tag é o nome informal para as plaquetas de identificação usadas por militares, por causa de sua semelhança com coleiras de cachorro (do inglês, dog tags). Tais plaquetas são usadas primariamente para a identificação de falecidos ou feridos e para serem providenciadas as informações médicas básicas para tratamento.

Num dog tag está contido o tipo sangüíneo e histórico de tratamentos usando substâncias químicas (através de vacinas e afins). Um soldado geralmente possui dois dog tags. No caso de um membro possuir uma condição que requer atenção especial, uma plaqueta vermelha adicional contendo tal informação é colocada junta dos outros dog tags.

Existe um hábito entre os marines americanos de fazer uma tatuagem de suas dog tags para que
possam ser identificados em caso de acidente, ataque ou ferimento por artefato explosivo que danifique a dog tag metálica.




miércoles, 30 de diciembre de 2009

Cruz de Honra a Mãe Alemã

Ter muitos filhos durante o regime nazista poderia render bons incentivos econômicos às familias alemaes. Além desses incentivos, o regime nazista criou uma condecoraçao chamada "Ehrenkreuz der Deutschen Mutter" (Cruz de Honra a Mãe Alemã), también llamada "Mütterkreuz", que era otorgada as mulheres que geravam filhos "Ariernachweis" (de ascendencia aria) a grande Alemanha, para que no futuro servissem como soldados de Hitler.

A Cruz de Honra a Mãe Alemã tinha 3 graus:

- Em bronze para as mães que tivessem 4 filhos
- Em prata para as mães que tivessem 6 filhos
- Em ouro para as mães que tivessem 8 filhos

A mãe que desse a luz a um sétimo filho tinha o duvidoso privilégio de que seu filho pudesse ser apadrinhado por Heinrich Himmler.

Famosos na 2GM - Don Adams, o Agente 86

Donald James Yarmy, mais conhecido como Don Adams (1923-2005), foi um comediante e ator norte-americano.

Criou fama como protagonista da série de comédia norte-americana Get Smart, como o personagem Maxwell Smart, o trapalhão agente 86, nome pelo qual a série era conhecida no Brasil. Causou sucesso estrondoso, rendendo-lhe várias indicações a prêmios como o Globo de Ouro e o Emmy, sendo que, nesse último, ganhou três vezes consecutivas na categoria de melhor ator de séries cômicas. A série foi exibida de 1965 a 1969 pela NBC e teve mais uma temporada em 1970 pela ABC. Fazia par na série com a agente 99, interpretada pela atriz Barbara Feldon.

Durante a segunda guerra mundial serviu na Marinha Americana, combatendo onde combateu na batalha de Guadanacal, sendo o único sobrevivente do seu pelotao. Durante a guerra, contraiu malária, ficando hospitalizado por mais de um ano. Quando se recuperou, trabalhou durante os últimos meses da guerra como instrutor.

lunes, 28 de diciembre de 2009

FILME: A Queda

No meio de uma noite de novembro de 1942, um grupo de jovens mulheres é escoltado por oficiais das SS, através do bosque, até a Toca do Lobo, o QG de Hitler na Prússia Oriental. São candidatas ao cargo de secretária pessoal do Führer. Entre elas, está Traudl Junge, uma jovem de Munique, de 22 anos. Ela é escolhida para o trabalho, e a idéia de servir ao Führer pessoalmente a deixa radiante. Em abril de 1945 os russos tomam Berlim deixando o exército alemão em pânico. "A Queda! As Últimas Horas de Hitler" é baseado nos relatos de Traudl Junge, além de livros, entre eles o de Joachim Fest, a maior autoridade mundial em nazismo.

Confira o trailer, clicando aqui

sábado, 26 de diciembre de 2009

Posters Aliados: Conheça os Uniformes Inimigos


Durante os primeiros anos da Segunda Guerra Mundial, quando a Alemanha detinha o poder aéreo e a Inglaterra estava bordando o colalpso, as autoridades inglesas temiam um desembarque massivo de soldados alemaes às ilhas britânicas.

Uma série de posters foram espalhados pelas cidades inglesas para que a populaçao pudesse reconhecer um soldado alemao.

Famosos na 2GM - Charles Bronson


Filho de um mineiro lituano, Bronson cresceu na Pensilvânia sem falar uma palavra de inglês. Apesar de ter completado o segundo grau, era esperado que ele se juntasse ao pai e seus irmãos no trabalho em minas de carvão. Porém, foi no cinema que ele se projetou e, apesar da longa carreira, que teve início nos anos 50, somente ganhou popularidade na década de 1970. Nessa fase, ficou conhecido como "o homem de poucas palavras e muita ação", pelas características de seus personagens.

Antes mesmo de participar qualquer filme, Bronson somente pôde conhecer o mundo, quando serviu no exército americano, durante a Segunda Guerra Mundial, dirigindo caminhões. Foi também artilheiro de Cauda e instrutor de tiro na USAAF. Completou 25 missões e foi condecorado com um Purple Heart.

Alguns dos seus filmes:

- Era uma Vez no Oeste
- Os Doze Condenados
- Fugindo do Inferno
- Sete Homens e um Destino
- Cidade Tenebrosa
- Vera Cruz
- A Mulher Absoluta
- Desejo de Matar
- Adeus às Ilusões
- Os Canhões de San Sebastian
- Quando Explodem as Paixões

Supermarine Spitfire

Projetado em 1936 por Reginald Mitchell (criador, na década de 1920, do também famoso Supermarine S6), entrou em serviço em agosto de 1938, na versão Mk I.

A fama deste caça afirmou-se com a Batalha da Inglaterra, onde a sua performace nas média e baixa altitudes (nas quais foram travados os principais combates) superou a do então principal caça alemão, o Messerschmitt Bf 109. Embora no computo final da batalha se verifique que foram abatidos mais caças britânicos do que alemães, as perdas de aviões abatidos no total, contando-se os bombardeiros, impostas pela Royal Air Force à Luftwaffe, através dos Spitfire e Hawker Hurricane, frustrou os planos de Adolf Hitler de obrigar a Grã-Bretanha a assinar a paz segundo os seus termos.

No final de 1941, quando os nazistas já estavam focados no seu principal objetivo, a invasão da então União Soviética, foi introduzido o primeiro caça que igualava o Spitfire em performance nas baixas altitudes e o superava nas médias e altas: o alemão Focke-Wulf Fw 190. Por esta época o Spitfire começou a ser produzido sob licença tanto nos Estados Unidos da América quanto na União Soviética. No segundo trimestre de 1942, em combates aéreos sobre Papua-Nova Guiné e o norte da Austrália, constatou-se que este caça também estava superado pelo Mitsubishi A6M Zero japonês.

Por essa razão, ao longo de 1943 e no início de 1944, foi gradualmente substituído por outras aeronaves de caça com maior autonomia de vôo, como o estadunidense Republic P-47 Thunderbolt, o russo Yakovlev Yak-9 e principalmente o anglo-americano P-51 Mustang e, em operações de ataque ar-terra, tanto pelo já citado P-47 quanto pelo seu conterrâneo Hawker Tempest. Nas funções de caça-bombardeiro e de apoio às forças terrestres (tanto na Europa quanto no Oriente), foi utilizado até ao final do conflito, quando já se encontrava definitivamente obsoleto em relação aos principais caças da época.

Versões
Ao todo, foram construídas 20.351 unidades, em mais de quarenta versões, que podem ser divididas em três grandes categorias:

* equipados com motor Merlin;
* equipados com motor Griffon;
* versão naval (Seafire).

Entre as versões mais conhecidas, destacam-se:

* Mk V, de 1941, a mais usada;
* Mk XII, de 1943, a primeira equipada com motores Griffon;
* Mk XVI, de 1943, para ataque ao solo;
* Mk XIX, de 1944, de reconhecimento fotográfico e a mais veloz das versões desarmadas.

jueves, 24 de diciembre de 2009

Posters do Eixo: Der feind sieht dein licht


"Der feind sieht dein licht"
O inimigo vê a luz. Oculte-a

Este cartaz de propaganda idealizado por Goebbles alertava a populaçao civil a respeitar as ordens de escurecimento total. De qualquer forma, a aviaçao aliado nao necessitava de uma visao total para acertar seus alvos com eficácia. O novo radar "H2S" a bordo dos avioes americanos e britânicos projetava uma imagem clara e nítida, independente das condiçoes meteorológicas e do grau de luz disponivel.

miércoles, 23 de diciembre de 2009

SIGLAS 2GM: RAF


A Força Aérea Real (RAF - Em inglês: Royal Air Force) é a força aérea independente mais antiga do mundo. Foi criada em 1 de abril de 1918, durante a I Guerra Mundial, pela mescla do Corpo Real de Vôo (Royal Flying Corps) e do Serviço Aeronaval Real (Royal Naval Air Service). Desde lá, teve um importante papel na história militar britânica, especialmente na II Guerra Mundial.

Nesse conflito, durante a Batalha da Inglaterra, a RAF teve grande importância defensiva. Apesar da superioridade numérica dos nazistas, os ingleses conseguiram enfrentá-los, devido à uma arma secreta: o radar. Causaram assim cerca de 2500 mortes na Luftwaffe, destruindo 1887 aviões alemães, e perderam 544 homens e 1547 aeronaves. Nessa época teve grande importância os caças Spitfire, que enfrentavam os caças de escolta alemães, e os Hurricane, encarregados de abater os bombardeiros. O radar diminuía a necessidade de vôos de ronda e assim os caças da RAF podiam se concentrar para atacá-los.

Posteriormente, junto à força aérea americana, teve um papel marcante nos bombardeios sobre o continente europeu e nas batalhas sobre a Alemanha que acabaram destruindo a força aérea de Hitler. Mais recentemente, atuou no Iraque e continua atuando em outras zonas de guerra, sendo uma das forças aéreas mais modernas do mundo. A RAF possui mais de 1000 aeronaves e, em 2007, 45.710 de pessoal regular.

Hoje a RAF tem como aeronaves de ataque e apoio ofensivo os caças Tornado GR4, Harrier GR9 e o Eurofighter Typhoon FGR4. As aeronaves de defesa aérea e alerta aéreo antecipado são o Eurofighter Typhoon F2 e o Tornado F3. As aeronaves de reconhecimento são o Sentry AEW1, o Nimrod R1, o Sentinel R1 e o MQ-9 Reaper.

NOTICIAS: Belgas afirmam ter encontrado 39 parentes vivos de Hitler

Os parentes de Hitler que vivem na Áustria tentaram esconder sua linhagem trocando seus nomes.

Pesquisadores belgas afirmam ter encontrado 39 parentes vivos de Adolf Hitler. Trinta e seis deles estariam vivendo na região austríaca onde o ditador nazista nasceu, segundo o jornal inglês "Daily Mail". As outras três pessoas estariam vivendo nos EUA, informação que já foi veiculada anteriormente.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores decodificaram o DNA de Hitler. Analisando restos de cigarro em uma pequena vila na região da Baixa Áustria, um guardanapo de papel usado em uma lanchonete de Nova York e os selos de cartas enviadas há 30 anos do nordeste da França, os pesquisadores Marc Vermeeren e Jean-Paul Mulders disseram ter identificado todos os parentes vivos do Fuehrer pela primeira vez.

Apesar dos pesquisadores defenderem que fizeram uma investigação exaustiva, suas informações não foram verificadas por fontes independentes. Eles também não forneceram detalhes de seus métodos.

Vermeeren, um oficial de alfândega belga, e Mulders, um jornalista, disseram que três dos bisnetos do pai de Hitler vivem em Long Island, Nova York, sob a identidade falsa de Stuart-Houston. Eles são descendentes de alemães que fugiram do país para escapar do nazismo.

Os pesquisadores disseram que os observaram durante 24 horas por sete dias, seguindo um deles até uma lanchonete, onde o parente do ditador deixou um guardanapo de papel após comer um frango frito. O material foi "recolhido e colocado em uma caixa de metal", disse Mulders.

Os restos de cigarros vieram dos parentes de Hitler na Áustria, os pesquisadores disseram. Eles não argumentaram como conseguiram o material genético dos selos enviados da França.

"Oa parentes americanos concordaram em não ter filhos para extinguir a saga dos Hitler e parar de viver com medo, mas prometeram publicar um livro antes de morrer", disse Mulders ao "Daily Mail".

Vermeeren disse que os parentes de Hitler que vivem na Áustria tentaram esconder sua linhagem trocando seus nomes para Hüttler, Hietler, Hiedler ou Hütler, nomes comuns no país.

Adolf Hitler se casou com Eva Braun em seu bunker em Berlim em abril de 1945 enquanto o Exército Vermelho se aproximava da capital alemã. O casal cometeu suicídio menos de 40 horas depois. Hitler não deixou filhos.

Siglas 2GM: OKW


O Oberkommando der Wehrmacht ou OKW (Alto Comando da Wehrmacht ou Alto comando das Forças Armadas) era a mais alta instância de planejamento e gerenciamento das forças armadas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

O OKW, formado em 1938, se decompunha em :

* OKH ou Heer, o exército
* OKL ou Luftwaffe, a Força Aérea
* OKM ou Kriegsmarine, a Marinha

O Marechal Wilhelm Keitel foi o comandante do OKW de 1938 a 1945. Ele prestava contas unicamente a Hitler, de quem recebia as ordens operacionais diretamente, pois Hitler era o Oberster Befehlshaber der Wehrmacht (Comandante supremo das forças armadas) e Oberbefehlshaber des Heeres (chefe do OKH).

Keitel assinou, sob esse título, a capitulação alemã em 8 de maio de 1945.

Alfred Jodl era o Chef des Wehrmachtführungsstabes (Chefe do pessoal operacional) de Keitel.

O OKW foi acusado, mas inocentado, de organização criminosa nos Julgamentos de Nuremberg. Keitel e Jodl, entretanto, foram julgados culpados e condenados à morte por enforcamento.

Luger P08

Foi considerada como o maior souvenir da Segunda Guerra Mundial. Esta pistola foi adotada pelo exército alemão em 1908 (daí o nome P08) e dois milhões de unidades foram fabricadas entre 1914 e 1918.

Como pistola militar, a Luger não justificava a reputação que granjeou. É elegante, boa de manusear e atira com precisão, mas sofre de várias limitações para ser considerada uma boa arma militar. Sua manufatura é bastante dispendiosa. O mecanismo tem muitas peças miúdas que requerem usinagem e montagem cuidadosas, e as molas têm de ser fabricadas com certo cuidado. O sistema de culatra articulável é sensível às variações da potência do cartucho, o que pode emperrar o funcionamento da arma. Lama, poeira, gelo e neve também provocam enguiços, e uma vez que o mecanismo não é coberto, nada impede que esses agentes penetrem nele.

Quando posta de lado com a sua sucessora, a Walther P38, não há dúvida sobre qual seja uma melhor pistola para uso militar. Mesmo assim foram fabricadas algo em torno de quatro milhões de unidades desta arma, e até hoje os colecionadores pagam altos preços por um exemplar em bom estado.

Modelo: P 08
Calibre: 9 mm (parabellum)
Comprimento: 222 mm (total) / 103 mm (cano)
Peso: 0,85 Kg
Carregador: Pente com 8 cartuchos
Velocidade Inicial do Projétil: 351 m/s.

T-34


O T-34 foi um tanque médio soviético produzido em 1940. Foi utilizado pelas forças Soviéticas durante a Segunda Guerra Mundial, e exportado em grande quantidade após a guerra. Alguns T-34 ficaram em uso até 1990.

Produzido das séries BT de tanques rápidos, para substituir o T-28, foi considerado um dos melhores tanques da sua época com o balanço de poder-de-fogo, mobilidade e protecção. No final da Segunda Guerra Mundial, a sua produção ha havia substituído todos os designs de tanques soviéticos, excepto um pequeno número de tanques Iosef Stalin.

Depois da Segunda Guerra Mundial muitos T-34, foram fornecidos a países africanos pela União Soviética, já que nesse teatro de operações cumpria os objectivos pretendidos, dado as ameaças potenciais serem poucas. A União Soviética dispunha ainda em 1975 de uma grande quantidade destes carros de combate na reserva.

lunes, 21 de diciembre de 2009

Guerra de Mentira

O termo "Guerra de Mentira" ou "Guerra de Araque" é utilizado no Brasil para designar o período inicial da Segunda Guerra Mundial, ou seja, entre 3 de setembro de 1939 e 10 de maio de 1940. Por outras palavras, é o período compreendido entre a declaração do estado de guerra da França e Reino Unido à Alemanha Nazista e a invasão por esta última da França, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo, durante o qual não houve verdadeiros combates armados.

Esse período é conhecido por "Drôle de Guerre", em francês, ou pela denominação inglesa "Phoney War", que significa "Guerra Falsa" ou "Imitação de Guerra", ou ainda por "Sitzkrieg" em alemão, que sigrifica "Guerra Sentada" (um trocadilho por oposição a Blitzkrieg, guerra-relâmpago em alemão). Durante este período ambos os lados se preparavam para as futuras batalhas, agrupando homens e armas na região fronteiriça. Entretanto, pouquíssimos combates foram travados neste período.

Em Portugal utiliza-se normalmente a expressão original "Drôle de Guerre" em francês, que algumas vezes tem sido traduzida por “Estranha Guerra” ou “Guerra Estranha”, e também chamada "guerra fingida", "guerra de brincadeira" ou "guerra ridícula", não existindo nenhuma versão de uso comum em português.

Cidade Aberta

"Cidade Aberta" é a denominação dada, geralmente em tempos de guerra, a uma cidade que, na iminência de ser atacada ou invadida, apresenta a declaração pública - através de seus administradores civis ou militares - de que abandona todos os esforços de defesa, disposição de luta e se entrega ao inimigo.

A cidade assim declarada espera de seus inimigos que não a ataquem ou bombardeiem, mas simplesmente marchem sobre ela e a ocupem pacificamente. Esta declaração geralmente é feita pelas autoridades no intuito de preservar vidas civis e marcos históricos de uma batalha desnecessária.

Na II Guerra Mundial, houve vários exemplos de cidades abertas:

- Bruxelas, em 1940, após a invasão alemã da Bélgica. - Paris, 1940. após a fuga do governo constitucional do país para o interior da França. - Manila, nas Filipinas, 1942, pelas autoridades militares americanas após a capital perder o interesse estratégico pelas condições da batalha contra os japoneses. - Atenas, 1944, quando da contra ofensiva aliada na Grécia, assim declarada pelos alemães, que resolveram não defendê-la, preservando seus tesouros históricos. - Roma, em agosto de 1943, declarada cidade aberta unilateralmente pelas forças alemães que a defendiam, mesmo quando os Aliados ainda combatiam no sul da Itália.

Nem sempre, entretanto, as forças atacantes respeitam este status. Isto aconteceu, por exemplo, em Belgrado, na Iugoslávia, em 1941, quando ela foi bombardeada pelos alemães após ter sido declarada cidade aberta e em Roma, bombardeada pelos americanos em 1944, às vésperas da chegada das tropas aliadas à capital da Itália.

Países do Eixo: FINLANDIA



Durante a Segunda Guerra Mundial, a Finlândia e a União Soviética (URSS) se enfrentaram duas vezes: na Guerra de Inverno (1939-40), e na continuação da guerra entre 1941 e 1944, durante a Operação Barbarossa, quando a Alemanha invadiu a URSS. Durante 872 dias, tropas finlandesas e alemãs sitiaram Leninegrado, uma das principais cidades da URSS. Após a derrota da Alemanha pelas frentes orientais e o subsequente avanço soviético, a Finlândia foi forçada a se retratar com a URSS, e aceitar exigências de reparações e controle.

Vários tratados assinados entre 1947 e 1948 determinavam que a Finlândia devia cerder à URSS boa parte de seu território, foi o "Tratado de Paz de Moscou". A Finlândia foi forçada a reparar a URSS pelos danos de guerra e a ceder partes da região da Carélia, bem como partes das cidades de Salla e Pechenga, que representavam juntas 10% de seu território e 20% de sua capacidade industrial, dentre eles o "Porto de Vyborg". Cerca de 400 mil desalojados deixaram essas áreas.

O país teve de rejeitar a ajuda do Plano Marshall, elaborado para reestruturar a Europa, mas foi secretamente amparada pelos Estados Unidos, que ajudaram no desenvolvimento e contribuíram com o partido dos democratas para preservar a independência do país. A Finlândia passou a estabelecer comércio com o Reino Unido, e as reparações de guerra transformaram o país em um potência industrial. Mesmo após os reparos a URSS terem sido feitos, o país que é pobre em alguns recursos naturais como petróleo e ferro, continuava parcialmente dependente da URSS em questões econômicas.

Soldados Filandeses no front

Países Aliados: BRASIL


O Brasil participou ativamente da Segunda Guerra Mundial. Tal participação pode ter sido relativamente modesta se comparada à de outros países que entraram antes no conflito, mas nem por isso deixou de ser significativa.

O país ajudou os Aliados fornecendo matérias-primas (especialmente borracha), patrulhando o Atlântico com navios da Marinha, que escoltavam os navios mercantes para protegê-los dos ataques de submarinos alemães, e enviando pilotos da Força Aérea e uma força expedicionária para lutar na Itália ocupada pelos nazistas.

Se compararmos a outros países da América Latina, o Brasil foi o que mais se envolveu no conflito. Embora outros países tenham rompido relações diplomáticas com as potências do Eixo, ou mesmo declarando guerra a essas potências (na prática, muitas dessas declarações de guerra não passaram de mera formalidade), apenas dois países latino-americanos enviaram contingentes para lutar nos campos de batalha: Brasil e México (que enviou uma força expedicionária para enfrentar os japoneses nas Filipinas).

Para se modernizar e estar preparado para a guerra, o Brasil precisou da ajuda dos Estados Unidos. No dia 27 de janeiro, Vargas e Roosevelt encontraram-se em Natal para firmar os termos da cooperação militar entre Brasil e Estados Unidos. Os dois presidentes conversaram dentro de um destróier norte-americano, o Jouett, ancorado no rio Potengi. Os dois presidentes conversaram no idioma usado pela diplomacia da época: o francês. Nesse encontro, ficou acertada a criação da FEB (Força Expedicionária Brasileira).

Paises do Eixo na Segunda Guerra Mundial

As Potências do Eixo, foram um dos contendores da Segunda Guerra Mundial. Seus inimigos eram os Aliados. Encabeçado pela Alemanha de Adolf Hitler, pela Itália de Benito Mussolini e pelo Japão de Tojo Hideki e do Imperador Hirohito, seus membros se referiam a ele como "Eixo Roma-Berlim-Tóquio". Além destas três nações principais, faziam parte outras menores.

Nações principais

Alemanha Nazista, liderado pelo Führer Reichskanzler Adolf Hitler (e nos últimos dias da guerra, o Grande almirante Karl Dönitz)

Japão, liderado pelo Primeiro-Ministro Hideki Tojo e o Imperador Hirohito

Itália, liderado pelo Primeiro-Ministro Benito Mussolini e o Rei Victor Emmanuel III (até 8 de setembro de 1943)

Outras nações

Bulgária (até 1944)
Hungria (desde 20 de novembro de 1940 até 8 de maio de 1945)
Roménia (até 1944)

Países em coligação ativa com o Eixo

Finlândia (26 de Junho – 31 de Julho de 1944, o Pacto Ryti-Ribbentrop)
Tailândia

Sob controle direto do Eixo

França de Vichy (1940 - 1944)
Itália Social (República de Salò), sob Benito Mussolini
Eslováquia
Estado Independente da Croácia (até Maio de 1945)
Albânia, sob o domínio da Itália até 1943
Manchúria (até Agosto de 1945)

Grupos nacionalistas

Movimento de independência Indiano (antibritânico)
Russo Branco (agentes anti-soviéticos)

Aliados da Segunda Guerra Mundial


Os Aliados da Segunda Guerra Mundial foram os países que se opuseram as Potências do Eixo na Segunda Guerra Mundial. A União Soviética, os Estados Unidos e o Império Britânico eram as principais forças. A China, a Polônia e a França antes da sua queda e após a Operação Tocha foram também considerados grandes aliados.

Os países participantes da Tríplice Entente na Primeira Guerra Mundial foram depois basicamente os mesmos Aliados da Segunda Guerra Mundial, inicialmente liderados pela França e pelo Reino Unido. Em 1941, a União Soviética juntou-se aos Aliados, logo após o ataque alemão, que marcou a quebra do pacto nazi-soviético.

Os países se juntaram ao grupo de aliados durante a Segunda Guerra Mundial foi o seguinte:

Após a Invasão da Polônia (1939)

Polônia: 1 de Setembro de 1939
Reino Unido: 3 de Setembro de 1939
França: 3 de Setembro de 1939
Austrália: 3 de Setembro de 1939
Nova Zelândia: 3 de Setembro de 1939
Nepal: 4 de Setembro de 1939
África do Sul: 6 de Setembro de 1939
Canadá: 10 de Setembro de 1939

Depois da Invasão da Noruega e Dinamarca (1940)

Noruega: 9 de Abril de 1940

Depois da Guerra de Mentira (1940)

Bélgica: 10 de Maio de 1940
Luxemburgo: 10 de Maio de 1940
Países Baixos: 10 de Maio de 1940
França Livre: 18 de Junho de 1940
Grécia: 28 de Outubro de 1940
Iugoslávia: 6 de Abril de 1941
União Soviética: 22 de Junho de 1941

Depois do ataque a Pearl Harbor (1941)

Panamá: 7 de Dezembro de 1941
Costa Rica: 8 de Dezembro de 1941
República Dominicana: 8 de Dezembro de 1941
El Salvador: 8 de Dezembro de 1941
Haití: 8 de Dezembro de 1941
Honduras: 8 de Dezembro de 1941
Nicarágua:8 de Dezembro de 1941
Estados Unidos da América: 8 de Dezembro de 1941
República da China: 9 de Dezembro de 1941
Guatemala: 9 de Dezembro de 1941
Cuba: 9 de Dezembro de 1941
Coreia: 9 de Dezembro de 1941
Checoslováquia: 16 de Dezembro de 1941 (governo no exílio)

Depois da declaração das Nações Unidas (1942)

México: 22 de Maio de 1942
Brasil: 22 de Agosto de 1942
Etiópia:14 de Dezembro
Iraque: 17 de Janeiro de 1943
Bolívia: 7 de Abril de 1943
Irã: 9 de Setembro de 1943
Itália: 13 de Outubro de 1943
Colômbia: 26 de Novembro de 1943
Libéria: 27 de Janeiro de 1944

Após o Dia D (1944)

Romênia: 25 de agosto de 1944 (formalmente um membro do Eixo)
Bulgária: 8 de Setembro de 1944 (formalmente um membro do Eixo)
San Marino: 21 de Setembro de 1944
Albânia: 26 de Outubro de 1944
Hungria: 20 de Janeiro de 1945 (formalmente um membro do Eixo)
Equador: 2 de Fevereiro de 1945
Paraguai: 7 de Fevereiro de 1945
Peru: 12 de Fevereiro de 1945
Uruguai : 15 de Fevereiro de 1945
Venezuela: 15 de Fevereiro de 1945
Turquia: 23 de Fevereiro de 1945
Líbano: 27 de Fevereiro de 1945
Arábia Saudita: 1945, Março de 1945
Argentina: 1945, 27 de Março de 1945
Chile: 11 de Abril de 1945
Dinamarca: 22 de junho de 1945

viernes, 18 de diciembre de 2009

NOTICIAS: Placa nazista famosa é furtada em Auschwitz


VARSÓVIA - A famosa placa metálica na entrada do campo de concentração nazista de Auschwitz, na Polônia, que diz "Arbeit macht frei" (O trabalho liberta), foi furtada nesta sexta-feira, segundo autoridades. O Yad Vashem, memorial do Holocausto em Jerusalém, disse que o incidente é "um ataque à memória do Holocausto".

Cerca de 1,5 milhão de pessoas, a maioria judias, morreram nesse campo de extermínio nazistas no sul da Polônia durante a Segunda Guerra Mundial. Os prisioneiros que chegavam ao campo passavam sob um portão encimado pela frase em alemão. Depois da guerra, mais de 200 hectares do campo viraram um museu, visitado anualmente por centenas de milhares de pessoas.

- Hoje de manhã, guardas patrulhando o local notaram que a placa não estava no seu lugar - disse Jaroslaw Mensfelt, porta-voz do museu. - Notificamos a polícia imediatamente.

De acordo com ele, a polícia está examinando as imagens de câmeras de vigilância.

" Não se trata só de um furto, mas de uma horrível profanação de um lugar onde mais de 1 milhão de pessoas foram assassinadas "

- Já instalamos uma réplica sobre o portão. Ela foi usada no passado enquanto o original era reparado. Espero que o original seja rapidamente recuperado e que os ladrões sejam apanhados - disse Mensfelt.

- Não se trata só de um furto, mas de uma horrível profanação de um lugar onde mais de 1 milhão de pessoas foram assassinadas, no maior local desse tipo nesta parte do mundo. É realmente um ato lamentável.

A frase "Arbeit macht frei" tornou-se um símbolo dos esforços nazistas para dar às vítimas uma falsa sensação de segurança antes de matá-las em câmeras de gás ou por causa do frio, da fome, de doenças ou experiências.

Os ingressos cobrados no museu não são suficientes para preservar o local, e neste ano a Polônia fez um apelo por sua manutenção. Grã-Bretanha e Alemanha, entre outros, ofereceram ajuda financeira.

Em janeiro, o campo celebra 65 anos da sua liberação pelas tropas soviéticas, e pretende inaugurar uma exposição nos antigos alojamentos dos prisioneiros.

Fonte: Jornal O Globo, 18 de dezembro de 2009.

miércoles, 16 de diciembre de 2009

Posters Aliados: "Il veille. Il vaincra. Souscrivez

"Il veille. Il vaincra. Souscrivez"
Vigia. Vencerá. Inscreva-se

Este poster francês, editado em 1939 trata de animar e ao mesmo tempo tranquilizar aos franceses.

Depois do alarme provocado pelo começo da guerra em setembro de 1939, alguns chefes militares tentaram diminuir as desastrosas falhas do exército francês, demonstrando contrários a permanecer na defensiva.

martes, 15 de diciembre de 2009

Cruz de Ferro


A Cruz de Ferro foi uma condecoração militar do Reino da Prússia, e posteriormente da Alemanha, instituída pelo rei Frederico Guilherme III e concedida pela primeira vez em 10 de março de 1813 em Breslau.

A cruz de ferro não é atribuída desde maio de 1945 e é uma condecoração exclusiva de tempos de guerra.

Em 1957 o governo da Alemanha Ocidental editou a “Lei de Títulos, Ordens e Medalhas de Honra”, permitindo aos veteranos a utilização da cruz de ferro; como a suástica é proibida por lei, ela foi alterada para um ramo de folhas de carvalho, conforme as versões de 1813, 1870 e 1914.

A lei permitiu o uso de versões desnazificadas da maioria das condecorações da segunda guerra (exceto aquelas associadas especificamente ao partido nazista, a SS ou medalhas comemorativas de anexações do Terceiro Reich)

Em 1 de outubro de 1956 a cruz de ferro torna-se novamente o símbolo das forças armadas (Bundeswehr) na Alemanha Ocidental e permanece como insígnia da nova Bundeswehr depois da reunificação alemã.

domingo, 13 de diciembre de 2009

O Mercedes de 6 rodas de Hitler


Desde o principio de sua carreira politica, Adolf Hitler, usou uma série de veiculos potentes para poder percorrer toda a Alemanha. O Furher tinha a sua disposiçao uma enorme frota de automoveis, e por sua ordem expressa, tinham que ser todos da marca Mercedes Benz. Nao é a toa que existem dezenas de fotos onde Hitler aparece, normalmente de pé, percorrendo as cidades alemaes a bordo de um 770K Grosser Mercedes, como podemos ver na imagem acima.

Sem duvida, o automovel mais espetacular da frota de Hitler foi o Mercedes 520G4W31, fabricado em 1931. Este automovel foi desenhado exclusivamente para o líder alemao, e sua caracteristica mais chamativa era o fato de ter 3 eixos e 6 rodas.

Quando Hitler viu pela primeira vez este automovel, ficou tao entusiasmado que mandou fabricar outros dois veiculos. Um foi reservado para o Duce Mussolini e outro foi dado mais tarde de presente para o General espanhol Francisco Franco.

Quando acabou a 2a Guerra Mundial, os 2 Mercedes de seis rodas de Hitler e Mussolini ficaram destruidos por completo, de forma que atualmente só existe o automovel presenteado a Franco que se encontra atualmente no Museu do Patrimonio Nacional da Espanha, em Madrid.

Houve uma disputa entre a Casa Real Espanhola e familia de Franco, pela custódia desse automovel. Depois de varias audiencias, a justiça determinou que este Mercedes pertence ao Estado Espanhol, já que esse veiculo tinha sido um presente de um chefe de Estado a outro.

Ha alguns anos, este automovel foi enviado a fabrica da Alemanha para que fosse completamente restaurado, já que era um carro que tinha 70 anos e ja tinha muitas peças oxidadas. A Mercedes fez toda a restauracao de forma gratuita, apesar de que houve por parte do fabricante alemao, uma proposta de compra, por um valor muito alto (falam-se de milhoes de Euros), mas o pedido de compra foi rotundamente negado pela Casa Real Espanhola.





A Foto de Iwo Jima



A Batalha de Iwo Jima (Operação Detachment) foi travada entre os Estados Unidos e o Japão, entre fevereiro e março de 1945, durante a Guerra do Pacífico, na Segunda Guerra Mundial. Como resultado da batalha, os EUA ganharam controle da ilha de Iwo Jima e os campos aéreos localizados nessa mesma ilha.

Essa batalha produziu uma das fotos mais famosas da 2ª Guerra Mundial. No dia 23 de junho de 1945, o fotografo Joe Rosenthal registrou o momento em que 6 fuzileiros americanos colocam uma bandeira americana no topo do monte Suribachi.

Os soldados americanos que aparecem na foto se chamam: Michael Strank, Harlan H. Block, Franklin R. Sousley, Rene A. Gagnon, Ira Hayes e John H. Bradley.

Esta foto tem 2 historias curiosas: Dizem as más linguas que essa foto foi uma armaçao, ou seja, o fotográfo pediu aos soldados para fazerem pose para a foto. Esse boato foi logo desmentido, pelo fato de ter sido a unica foto do evento registrada por Rosenthal. Quando um fotografo quer fazer uma foto “preparada” é necessario fazer varias fotos, até reproduzir a ideal.

A outra história fala sobre a maldiçao que envolve todos os fuzileiros que aparecem nessa foto. Strank, Block e Sousley jaais sairiam vivos da Ilha de Iwo Jima. Os outros 3 fuzileiros (Gagnon, Hayes e Bradley), sobreviveram a guerra, porém morreram anos depois de forma trágica por problemas de alcoolismo e depressao causados pelos traumas das guerra.

10 Curiosidades Sobre Adolf Hitler


1. Hitler era austríaco. Ele nasceu numa cidadezinha chamada Braunau am Inn localizada no norte da Áustria, que na época do nascimento de Hitler fazia parte do Império Áutro-Húngaro. Ele só se tornou cidadão alemão em 1932.

2. Hitler foi um sobrenome gerado pelo erro de um padre. O pai de Hitler era filho ilegítimo e, por isto, não tinha o sobrenome de seu pai. Depois que o avô de Hitler morreu, o pai dele conseguiu que um sacerdote lhe concedesse o reconhecimento da paternidade. Na hora de escrever o nome, trocou Hiedler por Hitler. Daí ficou assim mesmo.

3. Hitler reprovou um ano e deixou a escola aos 16. Sabe por quê?Seu pai queria que ele fosse um tipo de servidor público, Hitler queria ser… adivinha… pintor (não é de parede e sim de quadros). Depois que seu pai morreu, Hitler deixou a escola e foi se aventurar em Viena às custas da pensão que recebia por causa do pai. A Academia de Belas Artes de Viena rejeitou sua filiação duas vezes, argumentando que ele tinha mais talento para Arquitetura.

4. Hitler foi um soldado que combateu na Primeira Guerra Mundial. Em 1918, já no final da Guerra, Hitler chegou a um hospital de campanha vítima de um ataque com gás mostarda (Sabe quem produzia este gás para os alemães na II Guerra? A Bayer).

5. Hitler escreveu um livro chamado Mein Kampf (Minha Luta) que serviu de base ideológica para todas as suas loucuras. Ele queria tanto que seu livro fosse lido que dava cópias dele até como presente de casamento.

6. No dia 20 de abril de 1945, enquanto o exército soviético ia entrando em Berlim, Hitler comemorava seu 56º aniversário no seu abrigo. Um de seus generais mandou distribuir chocolates às tropas em honra ao aniversário do Führer.

7. Para garantir que o cianureto que tomaria para se matar era eficiente, Hitler fez um teste em sua cachorra. A coitadinha morreu, é claro.

8. Hitler era vegetariano, odiava cigarro, mas era fanático por doces.

9. Em termos amorosos, sua maior paixão foi sua sobrinha, Geil Raubal, uma jovem adolescente de seus vinte e poucos anos. Hitler não a deixava sair, restringia sua liberdade até que ela não aguentou, e um dia se matou. Hitler quase pirou. Durante toda a década de 30, Hitler relacionou-se com várias mulheres mas ao final sempre voltava aos braços de Eva Braun, com se casou na vespera de seu suicidio. Eva Braun foi tao fiel a Hitler, que se matou junto com ele.

10. Existem uma infinidade de relatos, depois comprovados pelos medicos soviéticos que fizeram a autópsia em Adolf Hitler, que ele só tinha 1 testiculo !

Era para ser 10 curiosidades, mas lembrei de outra:

11. Hitler se vangloriava de nao receber um só tostao do Estado, já que na epoca ele se recusou a receber o salário que tinha direito como Chanceler alemao. Pura demagogia........ Alem de Hitler utilizar toda a maquina do Estado para viver (comida, viagens e varias casas oficiais), ele recebeu fortunas pelos direitos autorais do seu livro, "Mein Kempf" que vendeu milhoes de copias, já que naquela epoca pegava mal uma familia nao ter um exemplar desse livro em casa !


Hugo Boss e os uniformes nazistas


Na semana passada a marca Hugo Boss apresentou sua coleção de verão 2010 na mercedes-benz fashion week. Mas você conhece a história desta marca?

Em 1923, o senhor Hugo Boss abriu uma oficina de costura em Metzingen (Alemanha) dedicado, basicamente, à confecção de uniformes para a polícia e correios. Em 1931, aderiu ao Partido Nazista, e dois anos depois, começou a confeccionar seus uniformes. Segundo Eckhard T
rox, um especialista em trajes militares do museu de Ludenscheid, os nazistas encomendaram seus uniformes a milhares de oficinas. A revista austríaca Profil, que descobriu o passado colaboracionista desta marca, assegura que Hugo Boss contou com mão-de-obra prisioneira de origem francês e polonês.

Depois da morte de Hugo Boss em 1947, a marca desapareceu. Cinco anos depois, dois de seus netos, Uwe e Jochen Holy, recuperaram o negócio confeccionando uniformes para a polícia e correios. Posteriormente, começaram a confeccionar trajes masculinos entrando assim na indústria da moda. O grupo italiano Marzotto comprou a maioria de suas ações em 1993.

Ao descobrir o passado nazista da marca, contrataram a um historiador para investigar o tema (como fez também a companhia ferroviária alemã). Em 1999, reconheceram e assumiram sua responsabilidade se comprometendo a recompensar aos trabalhadores dessa época.

viernes, 11 de diciembre de 2009

NOTICIAS: Restos mortais de Hitler foram queimados e jogados em rio alemão por agentes da KGB

Ultima foto tirada de Hitler, condecorando jovens da jungvolk
horas antes de cometer suicidio em seu bunker em 30 de abril de 1945

MOSCOU - Os restos mortais de Adolf Hitler foram queimados em 1970 por agentes da KGB e lançados em um rio alemão depois de ordens dadas pelo chefe da agência de espionagem, disse um membro do governo russo.

Em uma entrevista à agência de notícias Interfax, o chefe dos arquivos do Serviço de Segurança Federal da Rússia - a antiga KGB da União Soviética - confirmou pela primeira vez os acontecimentos que levaram à eliminação do corpo de Hitler.

O general Vasily Khristoforov disse que documentos secretos mostram que o chefe da KGB Yuri Andropov, com consentimento da liderança do Partido Comunista, ordenou uma operação secreta para destruir os restos de Hitler; de sua esposa, Eva Braun; do ministro de propaganda do partido nazista alemão, Joseph Goebbels; e a família inteira do ministro.

De acordo com os documentos, a decisão de Andropov de destruir os restos dos líderes nazistas e de suas famílias foi motivada pelo receio da KGB e do Partido Comunista da União Soviética de o local onde os corpos foram enterrados de início se tornasse um ponto de culto ao fascismo.

A operação, chamada em código de "Os Arquivos", foi realizada por um grupo especial de agentes da KGB em Magdeburg, na Alemanha Oriental, onde os corpos foram secretamente enterrados no dia 21 de fevereiro de 1946. Os restos estavam em uma instalação militar, disse Khristoforov.

Dois protocolos foram preenchidos após a operação, que ocorreu no dia 4 de abril de 1970: o primeiro falava sobre a abertura do túmulo com os restos dos líderes nazistas e seus parentes, e o outro detalhava a destruição física.

- Os restos foram queimados em uma fogueira perto da cidade de Shoenebeck, a 11 quilômetros Magdeburg, depois viraram cinza, foram recolhidos e lançados no Rio Biederitz - disse Khristoforov.

Os corpos de Hitler, Braun a da família Goebbels foram descobertos pelo Exército soviético em maio de 1946. Hitler teria se suicidado após ingerir veneno e se matar com um tiro no dia 30 de abril de 1945, quando o Exército Soviético invadiu a capital nazista.

Khristoforov afirmou que a Rússia manteve a mandíbula e o crânio de Hitler na Rússia.

- A mandíbula de Hitler está guardada nos arquivos do Serviço de Segurança Federal e os fragmentos de seu crânio estão no Arquivo do Estado. Não há mais partes do corpo além das arquivadas.

Fonte: Jornal O Globo, 11 de dezembro de 2009

jueves, 10 de diciembre de 2009

Messerschmitt Bf 110


Projetado como destruidor de bombardeiros, com longo raio de alcance, o Me 110 foi um sucesso no início da guerra, varrendo dos céus os seus adversários Poloneses e Franceses. Na Batalha da Inglaterra, suas limitações foram reveladas, sendo incapaz de executar as missões de escolta a ele atribuídas. Posteriormente voltou a se destacar como caça noturno, onde o desempenho não era relevante.

Especificações

Modelo: Me 110C-4/B
Envergadura: 16,25 m
Comprimento: 12,1 m
Altura: 3,5 m
Peso: 4,5 ton. (vazio) e 7 ton.(carregado)
Motor: Dois Daimler-Benz DB601N , 12 cilindros (1.200 hp)
Velocidade de Cruzeiro: n/d.
Velocidade Máxima: 562 Km/h
Teto Máximo: 10.000 m
Alcance: 850 Km
Armamento: 2 canhões Oerlikon MG FF de 20 mm e 4 metralhadoras Rheinmetall MG 17 de 7,92 mm
Carga de Bombas: Até 4 bombas de 250 Kg cada


miércoles, 9 de diciembre de 2009

Pistola Colt .45

Uma das armas mais produzidas no mundo, chegando a casa dos milhões de unidades. Planejada para ser potente o suficiente para derrubar os guerreiros filipinos que, durante as operações militares dos Estados Unidos na região (final do séc. 19), continuavam a atacar, mesmo após atingidos. Teve sua produção iniciada em 1911; sendo licenciada ou copiada por várias empresas, que mantiveram sua produção até a década de 80. Embora de difícil manuseio, pois era grande, pesada e com um forte recuo, era muito apreciada pela sua robustez e potência. A Colt M1911A1 foi adotada no Brasil em 1937, sendo fabricada anos depois pela Imbel.

Modelo: M1911A1
Calibre: 11,43 mm (.45 M1911)
Comprimento: 216 mm (total) / 127 mm (cano)
Peso: 1,36 Kg
Carregador: Pente com 7 cartuchos
Velocidade Inicial: 262 m/s.

Posters do Eixo: "Strudt met ons mede"


"Strudt met ons mede" (Combata conosco)

Um dos objetivos de Hitler durante o verao de 1941 foi a vitória sobre a Inglaterra. O cenário dos combates seria essencialmente no Oceano Atlântico, e para a Alemanha seu primeiro objetivo era impedir que os abastecimentos americanos chegassem a Inglaterra. Para isso, Hitler solicitou ajuda aos países ocupados.

Este poster editado na Bélgica estava dirigido aos cidadaos de idioma flamenco, animando-os a se unir com a Alemanha na luta contra o monstro britânico.

martes, 8 de diciembre de 2009

FILME: Circulo de Fogo

Durante a Batalha de Stalingrado, o Exército Vermelho precisava desesperadamente de um herói, alguém que pudesse encorajar os soviéticos a repelir o invasor nazista. Eis que chega à cidade em chamas Vasily Zaitsev (Jude Law), aparentemente um a mais no meio de tantos soldados enviados àquele inferno chamado Stalingrado.

A escassez de armamento e suprimentos era escandalosa - tanto que Vasili não recebeu um fuzil ao chegar, e ainda teve de ouvir às descabidas instruções de oficiais que diziam "O soldado que estiver sem fuzil, segue o que tem. Quando o soldado que estiver com o fuzil for morto, o de trás pega o fuzil e atira!". Tendo recebido um pequeno pente com cinco balas, Vasili acaba sobrevivendo a um fracassado ataque contra posições alemãs fortemente armadas.

Escondendo-se dentro de um chafariz, ele acha um fuzil - e mata cinco alemães com a parca munição de que dispunha. A seu lado, também escondido, está o comissário político Danilov (Joseph Fiennes), que decide tomar Vasili como herói nacional. Os feitos de Vasili são orgulhosamente divulgados pela Rádio Moscou, e sua fama espalha-se até alcançar os alemães, que decidem mandar seu mais experimentado franco-atirador, o Major König (Ed Harris), com a missão de matar Vasily Zaitsev. Começa então o duelo entre ambos.

Vasili conhece e apaixona-se por uma jovem recruta, chamada Tania (Rachel Weisz) - o que provoca uma crise de ciúmes em Danilov. No final Danilov ajuda Vasili a matar o major alemão.

Confira o trailler deste filme, clicando aqui

A tipografia oficial alemã

As letras de forma surgiram com a imprensa, inventada por Johannes Gutemberg no século 15. Na Alemanha a escrita artística feita manualmente na idade média foi influenciada pela escrita gótica, de onde surgiu a escrita alemã moderna ou "Frakturschrift".


Outro tipo de letra, chamada "Antiqua", tem sua origem na Itália, no século 15, e foi muito utilizada para escrever textos em latím. Também foi utilizada na Alemanha para escrever textos neste idioma. Os textos se escrivian em Frakturschrift, erroneamente chamada "letra alemã" ou Deutsche Werkschrift, nome que originalmente foi cunhado na Itália como "lettera tedesca".

Mudança radical

Até o inicio dos anos 20, se utilizaram na Alemanha tanto os tipos de letra "Fraktur" como o "Antiqua". Entretanto, durante os anos 1929-1940, os alemaes preferiram a Fraktursshrift, por considerar que a "Antiqua" nao era "aria". Uma vez iniciada a Segunda Guerra Mundial, houve um episodio curioso: No dia 3 de janeiro de 1941, a través de uma circular a todas as autoridades do Reich, Martin Borman proibiu o uso da escrita "Frakturschrift", ordenando que todas as dependências públicas utilizassem a partir deste día a letra "Antiqua". As verdadeiras razoes desta mudança tao radical nunca foram esclarecidas.

Terminada a guerra, os alemaes nao fizeram grandes esforços para recuparar sua escrita original, principalmente por causa das pressoes aliadas que defendiam a idéia de que os caracteres Frakturschrift eram nazistas. Este disparate sepultou para sempre este tipo de letra, pelo menos na Alemanha.

Coração Púrpura


Coração Púrpura (ing: Purple Heart) é uma condecoração militar dos Estados Unidos, outorgada em nome do Presidente a todos os integrantes das Forças Armadas que sejam feridos ou mortos durante o serviço militar, desde 5 de abril de 1917.

A condecoração original, com o nome de Distintivo do Mérito Militar, foi instituída por George Washington, então comandante do exército continental, em 7 de agosto de 1782. Ela foi concedida a apenas a três soldados a Guerra da Independência, caindo em desuso depois de seu término.

Apesar de nunca ter sido abolida, a condecoração não foi mais proposta até depois da I Guerra Mundial, quando em 1927 o Congresso recebeu um pedido do comando do exército para revivê-la, mas negou a proposição.

Em janeiro de 1931, o general Douglas MacArthur, então ocupante do cargo de chefe do estado-maior do exército, o mais alto posto da força, confidencialmente encomendou um novo desenho para a medalha, baseado no bicentenário de nascimento de George Washington.

Uma especialista heráldica do exército foi encarregada dos estudos para a criação do novo desenho, baseada nas especificações de MacArthur, do que se tornaria a medalha Purple Heart.

Por ordem executiva do Presidente dos Estados Unidos, ela foi instituída em homenagem à memória e as conquistas militares de Washington em 22 de fevereiro de 1932.

Como a concessão da medalha era retroativa a 5 de abril de 1917, o dia anterior ao que os EUA entraram na I Guerra Mundial, o general MacArthur, ferido nesta guerra, foi o primeiro a recebê-la.


LIVROS: Market Garden


No outono de 1944, a Alemanha foi posta contra a parede; mesmo assim, entretanto, continua lutando com amarga bravura ao se dar o início da "Market Garden". Havia possibilidade de o êxito dessa crítica operaçao nao se verificar, por causa de conflito existente no Comando Aliado, e por certo houve muitos que duvidaram que "Arnhem... tenha sido uma vitória clara e decisiva".

Título: Market Garden
Autor: Anthony Farrar-Horckley
Banda: Batalhas
Pags: 160

domingo, 6 de diciembre de 2009

ATLAS: Operaçao Husky


A operação Husky, foi uma das maiores operações anfíbias da II guerra mundial, embora tenha visto a sua importância para a História ser relativamente desvalorizada por causa da dimensão da operação Overlord, (a invasão no norte de França) que ocorreria cerca de um ano depois.

A invasão da Sicília ocorre na sequencia da retirada das forças alemãs e italianas do norte de África, que haviam sido atacadas a ocidente pelas tropas norte-americanas que tinham desembarcado em Marrocos e na Argélia e a leste pelas tropas britânicas do VIII exército de Montgomery que tinham avançado a partir do Egipto, até se encontrarem na Tunísia.

A invasão das praias do sul da Sicília foi dividida em dois sectores, um norte-americano (VII exército), comandado por Patton e outro britânico (VIII exército) comandado por Montgomery. No total foram desembarcadas oito divisões, ou seja, mais que as que seriam desembarcadas na Normandia em Junho de 1944 e estas divisões foram posteriormente reforçadas. Enquanto que os britânicos tomaram as praias da zona oriental, os norte-americanos tomaram as praias a ocidente. Em conformidade com os planos, os britânicos deveriam seguir para norte em direcção a Messina, enquanto que os norte-americanos deveria inflectir para ocidente, circundar a ilha e juntar-se aos britânicos.

Embora fosse uma manobra secundária, as consequências da ocupação da Sicília pelos aliados sentiram-se a nível político, especialmente na cena politica italiana. Com um território italiano parcialmente ocupado, a opinião pública passou a criticar fortemente Mussolini, que perdeu o apoio de grande parte dos políticos italianos e de algumas das elites do país.

Como consequência, a 25 de Julho, quando as tropas italianas e alemãs ainda combatiam na Sicília, um golpe de estado derruba Mussolini, sendo nomeado o marechal Badoglio como seu sucessor.

viernes, 4 de diciembre de 2009

Você Sabia ?

Que a palavra BLOCKBUSTER surgiu na Segunda Guerra Mundial ?


Blockbuster era o nome dado a uma bomba aérea, grande o suficiente para destruir um quarteirão inteiro. Segundo o diccionário Inglês Oxford a palavra Blockbuster significa "huge aerial bomb capable of destroying targets within a wide area" traduzindo "potente bomba aérea, capaz de destruir alvos dentro de uma grande área".

Com o tempo, essa gíria foi adotada pela industria cinematográfica, que significa que um filme é um super campeao de bilheterias, simplesmente um filme "arrasa-quarteirão" que significa literalmente em inglês "blockbuster".

jueves, 3 de diciembre de 2009

LIVROS: Bastogne, o último bloqueio

... às vezes eles ficavam muito assustados. Alguns conseguiam dominar o medo, outros eram por ele dominados. A muitos ocorria desertar imediatamente a luta; a outros, vencê-la a qualquer preço. Mas as balas e grandas nao faziam distinçoes, semeando indiscriminadamente a morte entre os combatentes de uma das grandes batalhas da guerra.


Título: Bastogne, o último bloqueio
Autor: Peter Elstob
Banda: Campanhas
Pags: 158

LIVROS: Vinho e Guerra



Neste período de festas de final de ano, em que os dias normalmente são mais tranqüilos, sobra mais tempo para a leitura. É um bom momento para ler (ou rever) "Vinho & Guerra - os franceses, os nazistas e a batalha pelo maior tesouro da França", trabalho do casal de jornalistas e escritores norte-americanos Don e Petie Kladstrup, lançado no Brasil por Jorge Zahar Editor. O nome já diz tudo. O livro trata do que aconteceu à indústria vinícola na França ocupada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, de 1939 a 1945. Em suas 354 páginas vêm à tona assuntos sensíveis até hoje para os franceses, como a colaboração com o inimigo. Mas o que predomina são as histórias de amor ao vinho e de como alguns vinhateiros apaixonados e ousados fizeram de tudo para enganar os alemães e evitar que eles levassem para o III Reich seu maior tesouro, o estoque de garrafas das grandes safras.

Para quem gosta de vinho, é uma delícia encontrar a cada página nomes conhecidos e respeitados no mundo vinícola, como Romanée-Conti, Pichon Lalande, Lynch Bages, Drouhin, Hugel, Moët & Chandon e outros. Muito já se escreveu sobre a ocupação da França pelos nazistas. Ainda assim, o casal de jornalistas norte-americanos descobriu dentro do universo da Grande Guerra uma saga quase inexplorada pelos historiadores. A descoberta aconteceu por acaso. Don e Patie Kladstrup contam que em 1998 estavam no Vale do Loire entrevistando o prefeito de Vouvray, Gaston Huet, para uma reportagem sobre o polêmico plano do governo francês de escavar um túnel através da região, para a passagem do TGV, o trem de alta velocidade. Temendo prejuízos aos vinhedos locais, os vinhateiros eram contra o projeto. Na conversa, o prefeito Huet lembrou que não seria a primeira vez que teriam de lutar para proteger seu vinho, recordando o que acontecera 60 anos antes.

Percebendo que ali havia uma ótima história, os jornalistas resolveram saber mais. Em três anos de pesquisas, leram tudo o que havia sobre a época e ouviram dezenas de depoimentos de testemunhas dos acontecimentos. Não foi um trabalho fácil. Apesar do heroísmo da Resistência, pairou sobre muitos franceses a suspeita de tentar ganhar dinheiro negociando com os nazistas. Como se isso ajudasse a esquecer o que acontecera, uma lei destinada a proteger a privacidade das pessoas na França foi utilizada para lacrar os documentos que tratavam de colaboracionistas.

No fim, Don e Patie Kladstrup conseguiram resgatar os principais fatos, contando com a ajuda de muitos vinhateiros, hoje octogenários, e de seus filhos, que eram crianças naquele tempo. Além dos relatos pessoais, eles lhes abriram os arquivos de família e permitiram retratar a verdadeira epopéia que viveram. "Vinho & Guerra" não é nenhuma maravilha literária, e às vezes os autores se perdem em detalhes sem muita importância. Mas é um relato com muitas histórias humanas, que se lê com prazer. O original em inglês saiu em 2001. O lançamento da edição brasileira, com tradução de Maria Luiza Borges, foi feito há alguns meses.

Como o universo da guerra e da vinicultura na França é muito amplo, a narrativa é conduzida principalmente pela trajetória de cinco famílias ligadas ao vinho, uma em cada região vinícola do país: os Drouhin, em Beaune, na Borgonha; os Miaihle, dos Chatêaux Pichon-Longueville, Siran, Coufran, Dauzac e Citran, em Bordeaux; os Hugel, de Riquewihr, jóia medieval da Alsácia; os de Nonancourt, ligados às casas Lanson Père et Fils e Laurent-Perrier, na Champagne; e os Huet, em Vouvray, no Vale do Loire. Cada uma dessas famílias lutou a seu modo para impedir o saque das caves pelos nazistas, assim como muitos outros o fizeram. Quem exprimiu melhor o heróico esforço de salvamento de suas jóias mais preciosas talvez tenha sido Claude Terral, dono do lendário restaurante parisiense La Tour D'Argent. "Ser francês significa lutar por seu país e pelo vinho do seu país", disse ele, ao mandar esconder atrás de uma parede falsa as melhores 20 mil garrafas de sua magnífica adega, especialmente os tintos da notável safra de 1867.

VINHO E GUERRA
Autor: DON E PETIE KLADSTRUP
Editora: JORGE ZAHAR EDITOR
Pags: 254

LIVROS: O cerco de Leningrado



Em fins de 1941, o Presidium do Soviete Supremo instituiu uma medalha pela corajosa defesa de Leningrado. No día mesmo em que tal medalha era instituida, 3.700 habitantes morriam de fome. Mas o pior estava por vir: a antiga S. Petesburgo, capital dos tzares, sofreria ainda 900 dias de fome.

Título: O cerco de Leningrado
Autor: Alan Wykes
Banda: Campanhas
Pags: 158

Coleçao da Renes

Bom, pelo titulo do meu tópico ja deu pra perceber que o assunto aqui sao os livros da Renes.

Esses livrinhos foram o meu primeiro contato com a literatura relacionada a 2GM. Além de baratos, trazem muitas fotos e muita informacao. Eu passei toda a minha adolescencia comprando esses livros (levei 10 anos para completar a coleçao, sem pressa), e tenho muito carinho por esses livros (que nao empresto, pq infelizmente ja tive experiencias ruins).

Logicamente, hoje em dia temos a nossa disposicao livros bastante mais robustos, com ilustracoes de excelente qualidade e uma encadernaçao bem melhor, porém a Renes sem dúvida marcou epoca, principalmente para o pessoal da minha geracao (35-40 anos).

Eu tenho todos os livros (sao 129). Completei em 2004. Ficou faltando o maldito Insignias Nazistas, que eu nao tenho pq me recuso a pagar o insano preço e 200 Reais que é o que andam pedindo nos sebos, mercado livre, etc.

Recentemente comprei o livro Nazi Regalia, da editora inglesa Ballantines (a editora original da colecao da Renes), que tem exatamente o mesmo conteudo, e custa 20 dolares.

Este blog terá um sessao dedicada especialmente aos livros da Renes. Pouco a pouco, postarei os 129 titulos da Renes, ou seja, a coleçao completa.

Um abraço a todos

LIVROS: Me-"Komet", o caça-foguete

A história do caça acionado a foguete mal atingiu uma década, mas se constituiu num dos mais espantosos capítulos dos anais da evoluçao dos avioes. Sua estréia foi aguardada com profunda apreensao pelos Aliados, e quase se deu, foi verdadeiramente alarmante. O caça a foguete foi o aviao mais espetacular da Segunda Guerra Mundial


Título: Me-"Komet", o caça foguete
Autor: William Green
Banda: Armas
Pags: 158

miércoles, 2 de diciembre de 2009

ATLAS: Operaçao Market Garden


A operação Market Garden foi uma operação militar aliada realizada durante a Segunda Guerra Mundial, entre os dias 17 e 25 de setembro de 1944. Seu objetivo tático era capturar uma série de pontes sobre os rios principais dos Países Baixos ocupados pelos alemães. Para isso, foram utilizadas tropas pára-quedistas em larga escala, em conjunto com um rápido avanço de unidades blindadas pelas estradas, a fim de atingir o propósito estratégico de permitir que os Aliados pudessem atravessar o Reno, a última grande barreira natural a um avanço sobre a Alemanha.

Pouco depois das 10:00 da manhã de um domingo, 17 de Setembro de 1944, decolou de aeroportos dispersos por todo sul da Inglaterra a maior força de aviões de transporte de tropa, até então reunida para uma única operação. Naquela semana - a 263ª da Segunda Guerra Mundial - o Comandante Supremo das Forças Alidas, General Dwight David Eisenhower, desencadeou a Operação Market-Garden, uma das mais ousadas e engenhosas da guerra. Market-Garden, uma ofensiva combinada aeroterrestre e de superfície, idealizada pelo Marechal de Campo Bernard Law Montegomery. A sua fase aerotransportada( Market) da operação foi monumental: envolveu quase 5000 aviões, de caça, bombardeiros e de transporte de pessoal e mais de 2500 planadores, o qual seria um assalto diurno sem precedentes para as tropas para-quedistas.

No solo, dispostos ao longo da fronteira belgo-holandesa, estavam as forças da fase Garden, colunas compactas de carros de combate do Segundo Exército Inglês. O plano ambicioso visava lançar velozmente a tropa e os blindados através da Holanda, transpor o Reno e invadir a própria Alemanha.

Inicialmente, a operação teve sucesso, com a conquista da ponte sobre o rio Waal em Nimegue no dia 20 de setembro. Entretanto, acabou por ser uma falha geral devido à ponte de Arnhem, a última do Reno, não ter sido conquistada, e ao fato da Primeira Divisão Aerotransportada Britânica ter sido destruída na batalha, apesar de terem suportado muito mais do que era estimado antes da implementação. O Reno permaneceria uma barreira ao avanço aliado até as Ofensivas Aliadas realizadas em março de 1945.

O general Montgomery contou com 3 divisões aerotransportadas: as 101ª e 82ª divisões americanas, a 1ª divisão pára-quedista inglesa e uma brigada pára-quedista polaca.

FILME: Operação Valquíria


Operação Valquíria (Valkyrie) é um filme rodado em 2008.

Tem o gênero histórico e dramático, baseado na história real do Coronel Claus von Stauffenberg. O filme se passa na Alemanha nazista durante a Segunda Guerra. Com roteiro de Christopher McQuarrie, direção de Bryan Singer, e tendo Tom Cruise como ator principal no papel do Coronel Stauffenberg, o filme descreve os dias anteriores ao 20 de julho de 1944 quando oficiais alemães tentam assassinar Adolf Hitler e usam o plano emergencial Operação Valquíria para iniciar um golpe, controlar o país e tentar dar um fim a guerra.

Veja o trailer deste filme, clicando aqui